Comer emocionalmente – como sair dessa cilada!

Comer emocionalmente
Comer, muitas vezes, vira uma válvula de escape, comemos porque estamos ansiosas, tristes, estressadas, frustradas, alegres ou entediadas; são emoções que funcionam como gatilhos para a comida.

Nesses casos perdemos a percepção do que é fome e do que é compulsão. Criamos um círculo vicioso que pode interferir na nossa saúde, estabelecendo uma relação pouco saudável com a comida. A nutricionista Maiara Fidalgo nos traz dicas valiosas para escapar do comer emocionalmente. Vem comigo!

Gatilhos para o comer emocional

O problema dos gatilhos emocionais para comer é que nunca corremos para um pratão de salada, não é mesmo? Geralmente buscamos alimentos ricos em açúcar ou gordura, são guloseimas que ganham status de prêmio. “Estou tão brava que mereço um sorvete, não, um mega sorvete” e na sequência vem a culpa e a frustração.

Afinal, fomos acostumadas desde crianças a associar comida com compensação: “se comer tudo vai ganhar sobremesa”, “te dou um pirulito depois da injeção”, e, ainda, com atenção e afeto.

Racionalizar um pouco pode fazer bem!

Identificar as emoções que funcionam como gatilho, e desvincular com a comida, pode nos “forçar” a encarar os problemas de uma forma mais prática, quem sabe até achar outras soluções para lidar com as questões, aumentar o auto-conhecimento, repensar a relação com a comida e, finalmente, aumentar as chances de cumprir a promessa de ter uma alimentação mais saudável.

Essa não é uma tarefa fácil, em um primeiro momento nos sentimos perdidas, como se não houvesse nada mais para ser feito. Ter um pensamento determinado a assumir o controle e buscar alternativas são as dicas para sair do condicionamento.

Dietas restritivas e a compulsão

Comer é uma grande fonte de prazer na vida, mas não é a única e talvez nem a principal. Quando colocamos a comida em primeiro lugar e travamos uma guerra com ela, fazendo dieta restritiva, criamos um bolsão de tensão que pode estourar a qualquer momento.

Essa explosão envolve compulsão por “alimentos proibidos”, muito stress e frustração. Por isso, dietas restritivas não são boas opções para emagrecer com saúde e equilíbrio e devem ser evitadas!

Válvulas de escape mais saudáveis

É possível ampliar as opções de atividades para lidar com as emoções do dia a dia. Essas opções vão desde praticar uma atividade física (uma simples caminhada tem um efeito terapêutico maravilhoso), ler um bom livro, ouvir música, conversar com amigos, desenvolver habilidades manuais, meditar, ver um filme ou, até mesmo, fazer escolhas mais conscientes e saudáveis, se a opção for comer mesmo.

Lembrando que se alimentar de forma saudável pode ser muito prazeroso, descobrindo novos sabores, texturas e aromas, restabelecendo uma relação saudável com a comida e com a vida, tudo com mais consciência, só assim podemos realmente fazer escolhas!

Via: Lar Natural

DEIXE SEU COMENTÁRIO

comentários

Recomendados Para Você: