Enquanto estava no útero, este menino estava sendo esmagado pelo seu próprio crânio. Mas quando ele nasceu, eles descobriram que era bem pior do que pensavam.

Não há nada mais assustador e estressante para futuros pais do que receber más notícias sobre o bebê que estão esperando. Com apenas um ultrassom, a vida pode ir de animada e feliz à assustadora e angustiante. Um momento assim aconteceu com Shelly Wall e seu marido Rob quando os médicos lhes deram novidades terríveis sobre o bebê em seu ventre, um menino que eles já tinham dado o nome de Noah.

Um ultrassom havia revelado que Noah tinha espinha bífida e hidrocefalia congênita. Essa última é uma condição na qual o excesso de fluido acumula no cérebro e incha o tamanho do crânio. Nesse caso, o médico lhes prepara para o pior: não estava claro se Noah sobreviveria até o parto e, de qualquer forma, ele poderia nascer sem cérebro.


Como era de se esperar, Rob e Shelly estavam devastados. Eles queriam tanto esse bebê, mas agora eles se preparavam para a futura perda, comprando até mesmo um pequeno caixão. Eles esperaram e imaginaram quanto tempo teriam com o bebê, se é que teriam algum.

E então, Noah veio ao mundo – com apenas 2% de um cérebro. Ainda assim, lá estava ele.

Depois de um período tenso de tratamento intensivo, eles o levaram para casa, mais comprometidos do que nunca a aproveitarem seu tempo como pais.

Noah cresceu e se desenvolveu. Um pouco mais devagar do que a média, mas quando outros bebês da sua idade começaram a engatinhar, ele também começou. Quando outras crianças começaram a falar, ele fez o mesmo.

Ele estava aprendendo as mesmas coisas que os outros pequenos, mas com apenas uma fração do cérebro. Como isso era possível? Os médicos que acompanhavam o caso estavam espantados (e animados), mesmo sem entenderem o que estava acontecendo.

Em certos casos, ele precisava de atenção e cuidado extras, mas se tornou uma criança animada e feliz.

No entanto, não era apenas o seu desenvolvimento extraordinário que se destacava, como também o seu charme adorável e bom humor constante! Apesar dos check-ups inacabáveis no hospital, Noah estava sempre radiante.

Então, Noah chocou ainda mais os médicos: eles fizeram novos exames e descobriram que seu cérebro tinha crescido. E não só um pouco, mas enormemente. Considerando a condição do menino, a equipe médica ainda está espantada com como uma parte tão grande do seu cérebro podia evoluir depois do nascimento. Ele parecia um milagre da medicina.

Enquanto isso, um documentário sobre Noah e seus pais foi lançado, e todos os envolvidos continuam ansiosos para sabem mais sobre a vida inesperada de Noah. Você pode assistir a uma parte realmente emocionante aqui (em inglês):

Fique ligado. Em uma época em que estamos constantemente aprendendo sobre a plasticidade do cérebro, com certeza será fascinante ver o que Noah fará a seguir e o que os médicos vão descobrir sobre o cérebro humano a partir da experiência de Noah e sua família!

Via: Não Acredito

DEIXE SEU COMENTÁRIO

comentários